Diverticulose

 

Diverticulose

É o termo utilizado como sinônimo da doença conhecida como Moléstia Diverticular dos Cólons. Trata-se da formação de pequenas bolsas ao longo do intestino grosso (cólons), podendo ocorrer em qualquer parte, mas geralmente são predominantes na região conhecida como cólon sigmóide,que localiza-se na região inferior esquerda do abdome.

A diverticulose muito comum no mundo ocidental com presença em 30% das pessoas com mais de 50 anos de idade, em 50% com mais de 70 anos de idade e 70 % com faixa etária superior a 85 anos. Apesar da alta incidência, cerca de 80% dos paciente portadores de divertículos de cólons passarão a vida toda sem apresentar sintomas da doença.

As complicações mais comuns da diverticulose são a diverticulite e o sangramento diverticular.

Diverticulite

È o processo inflamatório causado pela infecção e subseqüente inflamação do divertículo com formação de abscesso. Pode apresentar-se como Diverticulite não Complicada, quando forma-se um pequeno abscesso que é bloqueado pela gordura intraabdominal; e como Diverticulite Complicada quando formam-se abscessos ou ocorre passagem de fezes para cavidade abdominal.

Sintomas da Diverticulose

O sintoma mais comum é dor na região inferior esquerda do abdome de início súbito acompanhado ou não de febre e alteração do hábito intestinal

Exames

Exames de sangue para avaliar se há indícios de infecção e Ultrassonografia ou Tomografia Computadorizada de abdome são os exames iniciais para definir se trata-se de doença complicada ou não-complicada. A colonoscopia não é indicada nesses casos pelo risco de aumento da perfuração.

Tratamento da Diverticulose

Nos caso de Diverticulite não Complicada: Os casos leves e moderados em pacientes saudáveis sem outras doenças podem ser tratados em domicílio com antibióticos via oral. Após melhora de sua primeira crise de diverticulite, a maioria desses pacientes geralmente não apresentam recorrência e não precisam de tratamento cirúrgico.

Nos casos de Diverticulite não Complicada Recorrente: Por outro lado, se houver uma segunda crise não complicada, aumenta o risco de ocorrer novas crises subseqüentes e com maior risco de complicações como abscesso, perfuração ou obstrução. Assim sendo, havendo melhora de uma segunda crise de diverticulite não complicada, costuma-se indicar o tratamento cirúrgico com ressecção do segmento intestinal acometido.

Nos casos de Diverticulite Complicada: Já nos casos complicados onde há abscesso, perfuração ou obstrução está indicada cirurgia de urgência com ressecção do segmento acometido, lavagem da cavidade abdominal e confecção de colostomia provisória. Em alguns casos de abscesso localizado pode ser realizado drenagem guiada por Tomografia e cirurgia após alguns dias sem necessidade de colostomia.


Especialidades: